5 razões porque o Mobile Marketing está ficando cada dia mais importante

Não importa aonde você esteja lendo esse post. Pare e olhe ao seu redor. Com certeza, as pessoas à sua volta estão mexendo em seus celulares. Senão, os dispositivos estão ali, ao lado do computador dos donos – bem ao alcance das mãos. Apenas essa análise no ambiente já seria razão suficiente para terminarmos o assunto aqui. O mobile não é uma tendência. Não é uma novidade. Não é uma moda.

Nos Estados Unidos, 80% das pessoas acessam a internet por meio dos seus dispositivos mobile.  Sim, esses números são menores em países em desenvolvimento como o nosso. No entanto, não estamos assim tão atrás. Estudo global da Adobe prevê que até o final de 2018, no Brasil, 45% do tráfego total da internet será via smartphone. Pode parecer pouco, mas é um aumento de quase 10% comparado com ano passado – quando o número era 36%.

Estar no mobile é mais do que uma necessidade, virou questão de sobrevivência para as grandes empresas. Os bancos estão tornando-se digitais. As lojas de varejo tradicionais estão projetando-se como e-commerces. Uma outra estatística pertinente é que o número de conversão no mobile é 64% maior do que do desktop.  

E se o mobile veio para ficar, o mobile marketing é fundamental para o plano estratégico de qualquer modelo de negócio e está tornando-se cada dia mais importante, ganhando seu lugar ao Sol nos budgets. Para evidenciar ainda mais essa afirmação, separamos cinco considerações bem interessantes.

 

5 razões porque o Mobile Marketing é essencial para sua empresa

 

  1. Brasileiro passa 1460 horas por ano nos dispositivos

 

Cerca de 35% dos americanos checam seus celulares de cinco em cinco minutos.  Já o  brasileiro passa em média, 3h14 por dia conectado nos dispositivos mobile. Se pensarmos apenas nos jovens da geração millenials, a média é de quatro horas por dia! Isso significa que aqui no Brasil, uma pessoa passa 1460 horas por ano navegando por sites, conversando e interagindo. Uma grande oportunidade para as empresas capturarem sua atenção e fazerem parte da sua rotina diária.

 

2) 60% das compras começam no mobile

 

Os consumidores estão acessando os sites de e-commerce dos seus devices. A projeção nos Estados Unidos é de que até o final de 2017, 60% das visitas nos sites comecem em um dispositivo móvel.  Trazendo para a nossa realidade, 43% das pessoas fizeram compras por seus celulares apenas nos seis primeiros meses do ano passado. Se a primeira transição foi da loja física para o desktop, agora a revolução é ter um site adaptado para o mobile (não tem ainda? Essas dicas podem ajudar) e trabalhar o funil de vendas do m-commerce.

 

Para entender mais sobre essa etapa do funil de marketing mobile, sugerimos os seguintes conteúdos:

 

3) Pessoas pesquisam no mobile enquanto estão nas lojas físicas

 

A tecnologia mobile ofereceu a oportunidade dos consumidores compararem preços dos produtos enquanto estão dentro das lojas físicas. As empresas que utilizam o mobile marketing estão beneficiando-se desse comportamento.

Apostar em um website otimizado e em técnicas de SEO  pode influenciar na compra das pessoas que estão, exatamente nesse momento, em busca de outras opções ou melhores preços. Ou seja, uma oferta no seu m-commerce pode tirar o consumidor de dentro da loja do seu concorrente.

 

Aqui no Brasil, uma pessoa passa 1460 horas por ano navegando por sites, conversando e interagindo

 

4) 98% das pessoas abrem um SMS

 

A taxa de abertura dos SMS é de 98%. Ainda mais interessante é que 90% das pessoas abrem o e-mail em menos de três segundos. Mais rápido do que e-mail marketing ou qualquer outro canal digital. E uma campanha de SMS possui um custo extremamente baixo comparada com outras. Explorar esse canal é uma oportunidade interessante para oferecer seus produtos e serviços e ainda obter um retorno rápido. Confira também outros Growth Hackings Mobile para fazer seu app crescer.

 

5) Mobile marketing permite alcançar todas as classes sociais

 

A inclusão social na internet transformou o jeito das pessoas e das marcas se relacionarem. E os smartphones e tablets estão tornando-se ferramentas cada vez mais populares para a comunicação com todas as classes sociais: cerca de 35% dos usuários são da classe C, 49% da classe B e 12% da classe A. Em números absolutos, são mais de 48,3 milhões de usuários da classe C no Brasil – mais do que o total de habitantes do Canadá. Isso fez com que fosse apelidados de C de Conectados e nomeados pelo Google como “os donos da internet”.

Todos esses números significam uma oportunidade de ouro para as empresas colocarem suas mensagens nas mãos de todas camadas demográficas e permitem que os anunciantes atinjam um público mais amplo.

 

*

 

O marketing digital está em constante evolução e o mobile marketing desempenha um papel fundamental nessa estratégia. A mudança da atenção das pessoas para os dispositivos móveis é uma tendência que continuará a progredir, e as empresas precisam garantir um plano de Marketing Mobile coeso para conectar-se com esses consumidores digitais e aproveitar todas as oportunidades que o mobile oferece.

 

O que acha de adicionar mais inteligência no marketing do seu app? Receba agora uma análise personalizada do seu aplicativo pela equipe do RankMyApp!

,

Insights do MMA Mobile Report para incorporar na estratégia mobile

Quando falamos de mobile, existem dois pontos-chave que precisam ser levados em conta, o tempo todo: evolução e inovação. No entanto, sem dados, highlights, tendências e atualizações ambos tornam-se imensuráveis e intangíveis. Para não ficarmos ultrapassados, todos os profissionais de mobile marketing precisam ter dados atualizados (e confiáveis) nas mãos.

 

Para isso, destacamos alguns insights retirados do MMA Mobile Report 2017 sobre o comportamento dos usuários mobile no Brasil. São algumas das principais tendências e oportunidades que o mobile pode oferecer, como também, perspectivas interessantes para qualquer estratégia de marketing.

 

Todos os anos, a pesquisa proporciona aos profissionais da área alguns questionamentos interessantes e que todos nós deveríamos levar em consideração, principalmente, na hora de desenvolvermos um plano mobile. Outro ponto interessante é que o relatório desmistifica mitos e clichês acerca do  mobile marketing.

 

Vale a pena contextualizá-los antes de começarmos: participaram da pesquisa usuários de smartphone ou de tablet com acesso a internet, de ambos os sexos, na faixa etária de 14 a 55 anos, das classes A, B e C. Vamos lá?

 

5 insights do MMA Mobile Report 2017 para refletir sobre

 

1) Smartphone torna-se cada dia mais a extensão do self

 

É um consenso geral de que o smartphone é o first screen e, cada vez mais,  torna-se o principal ponto de contato das pessoas com as marcas. Mas agora, temos evidências em números: 74% dos entrevistados selecionaram o celular como seu dispositivo móvel favorito. E o número só aumenta com o passar dos anos: era 34% em 2015 e 66% no ano passado. Para as gerações mais novas, o mobile é parte do self, uma extensão da sua individualidade.

 

2) Mobile é indispensável para vidas das pessoas

 

E isso é uma tendência para todas as gerações. Todos somos mais mobile do que antes. Até os baby boomers se adaptaram e o tempo gasto por pessoas mais maduras (45 a 55 anos)  no celular aumentou 48% em um ano! Além disso, 83% afirmaram que o mobile é essencial no seu dia a dia! O mais interessante: são apenas seis pontos percentuais de diferença da geração Z (jovens de 14 a 24 anos). Ou seja, a ideia de que apenas jovens usam dispositivos móveis já é um mito.

 

3) Aumento do uso de apps funcionais e de informação

 

Com o aumento do tempo dentro do mundo mobile, é natural que as atividades realizadas via dispositivos aumentem. Antes, as pessoas usavam os apps essencialmente para a comunicação (talvez uma herança do celular) mas isso mudou e, hoje, as pessoas utilizam os devices para as mais variadas funções. Por isso, o número médio de apps utilizados por dia aumentou – a média é de 8 a 9. E os tipos de uso diversificaram bastante. Para ter uma ideia, o uso de aplicativo para consumir informação subiu 7 pontos percentuais em um ano. Já os funcionais como GPS e finanças aumentaram, na média, 11 e 7 p.p, respectivamente.

 

mobile marketing

Mobile é indispensável para vidas das pessoas. E isso é uma tendência para todas as gerações. Todos somos mais mobile do que antes. 

 

4) A maioria deleta o app depois de atingir seus objetivos

 

A metade dos entrevistados (de todas as faixas etárias) removem o app depois de atingir os objetivos. Esse número foi maior entre pessoas de 25 a 34 anos: 60%. Outras estatísticas comportamentais curiosas: 83% fazem download de novos aplicativos, no entanto, 79% baixam apenas apps gratuitos. Além disso, o mobile está presente na rotina cotidiana, mas os momentos de maior contato ainda são em casa, antes de dormir e na hora de acordar.

 

5) Anúncios no mobile são bem aceitos pelo usuário brasileiro

 

O grau de rejeição à publicidade no Brasil é baixo e, ao mesmo tempo, formatos mais visuais e menos invasivos são os mais aceitos por todas as gerações. Entre os mais jovens, as preferências estão nos banners mais lúdicos, em fotos, imagens de alta qualidade e vídeos. (Quem quiser investir no video-marketing, esse curso gratuito é ótimo!). Para alguns especialistas, isso significa que o usuário mobile está desenvolvendo uma consciência analítica e aprendendo a discernir o que é uma boa propaganda ou não.

*

Esses números podem guiar a sua estratégia de Mobile Marketing. Ainda não está satisfeito? Acompanhe nossos canais e fique por dentro das nossas novidades:

Assine a nossa newsletter: disponível na parte lateral do nosso blog (onde você está agora);

Acompanhe nossas redes sociais: curta nossa página no Facebook, no Twitter, Linkedin e Google+.

–Entre no nosso fórum de discussão: junte-se ao nosso grupo do Facebook Mobile Marketing Brasil. Lá você encontrará outras empresas com apps ou desenvolvedores para conhecer, além de notícias atualizadas sobre o mercado de mobile marketing.

O que acha de adicionar mais inteligência no marketing do seu app e conseguir resultados positivos em semanas? Receba agora uma análise personalizada do seu aplicativo pela equipe de especialistas em ASO e mídia paga para apps do RankMyApp.

Funil de m-Commerce: descubra como testar seu app

 

O marketplace chinês Alibaba encerrou 2017 com um número astronômico – mesmo para padrões gigantescos do país oriental: 80% do total de vendas realizadas foram feitas por meio do celular. Isso significa um faturamento de R$ 13 bilhões de dólares. Quase o dobro do ano anterior.

Apesar dos números do Brasil ainda serem tímidos, tudo caminha para sermos uma futura China. O brasileiro já está ambientado com plataformas digitais. A prova disso é que mesmo com dois anos seguidos de queda do PIB, os números de vendas por e-commerce cresceram. Só para ilustrar, foram R$ 21 bilhões de reais de faturamento, apenas no primeiro semestre de 2017.

Isso, somado com a democratização do acesso 3G e 4G e o fato do celular ser o principal meio de acesso à internet no Brasil, contribuíram para os recentes números apresentados: as compras feitas por celular cresceram 35,9% em número de pedidos e 56,2% em termos de faturamento de janeiro a junho de 2017.

Devido a esses fatores, as lojas de varejo estão investindo no m-commerce: vendas por meio do mobile. Seja em aprimoramento da experiência do consumidor, na melhoria dos sites responsivos e dos aplicativos ou oferecendo vantagens comerciais para alavancar as vendas nos smartphones – todos entenderam que precisam estar no mobile.

 

m-Commerce: Características e desafios

 

No entanto, poucos levam em consideração as peculiaridades e desafios do m-commerce.

Por exemplo, uma das principais características do mobile é que consumidores utilizam os dispositivos para procurar produtos e, também, para envolver-se com marcas e pesquisar preços. Ou seja, mesmo quando não estão realizando compras no celular, efetivamente, os aparelhos ainda têm um grande impacto nas vendas em outras plataformas.

Já um dos desafios é a experiência mobile. Assim como é feito no desktop, os aplicativos precisam ser otimizados para cada uma das etapas do funil, direcionando o consumidor a finalizar a compra.  E algumas vezes, isso está sendo esquecido.

Para entender melhor sobre as peculiaridades e características do mobile, você pode contar com a ajuda do RankMyApp. Leia nosso blog, cadastre-se na newsletter, siga nossas redes sociais: Facebook no Linkedin e no Twitter.

E para te ajudar a superar os desafios, vamos conversar um pouco mais sobre como funciona o funil do m-commerce.

 

Como testar seu app por meio do funil de m-Commerce

 

O funil de m-Commerce busca recorrência. Ou seja, que o usuário, além de tornar-se cliente, seja assíduo e volte em breve para realizar uma nova compra. E ainda indique a loja para outras pessoas. Vamos mostrar cada uma das etapas e como o processo acontece:

 

funil-de-vendas

 

Topo do funil (descoberta): o objetivo dessa etapa é aumentar o alcance da marca e garantir uma experiência do usuário excelente. Nessa fase, o ideal é realizar os testes de UX na plataforma e trabalhar, além das questões funcionais e práticas, o lado emocional da experiência.

Antes todo mundo fazia sites para usuários que estavam sentados em frente ao computador. Agora, tratando-se de mobile, o contexto passa a ser essencial. Afinal, onde seu usuário estará no momento em que vai acessar o seu site? Fora isso, a plataforma precisa ser mais do que responsiva, e sim, otimizada para mobile. (Sabia que existe uma grande diferença?).

 

Meio de funil (consideração e conversão): o meio do funil do m-commerce consiste, basicamente, na escolha do produto (onde o usuário considera sobre a compra), o cálculo do frete e o pagamento (o momento onde a conversão é feita).

Ou seja, nesse momento, a disposição e clareza das informações e o engajamento dos usuários com os produtos precisam ser testados. Será que o conteúdo está bem posicionado? E as imagens? Os botões estão adaptados para o mobile? Como está a conversão para outro device?

 

Fundo do funil (relacionamento e retenção): o final do ciclo de vendas consiste em criar uma ótima experiência no fluxo de check-out (finalização da compra) e incluir um gatilho para um loop de feedback positivo com os consumidores, como uma nota de agradecimento ou uma oferta direcionada.

O mobile dispõe de uma série de tecnologias para aproximar os clientes e oferecer ótimas estratégias de upsell como geolocalização, bluetooth, acelerômetro, câmara e notificações. Teste e use a seu favor.

 

Para concluir, tratando-se de testar o seu funil de m-commerce, é sempre importante otimizar todos os elementos nas diferentes etapas do funil. Você nunca vai descobrir o que funciona para seus usuários sem traçar a jornada, realizar muitos testes A/B e analisar as hipóteses.

Quer saber mais sobre etapas do funil de vendas, e-commerce e vendas em aplicativos? Confira os outros conteúdos de nosso blog! E, se precisar de ajuda para otimizar seu app, fale com a gente!